O Pau Santo está em vias de extinção? Não.

(Atenção aos preços muito baixos. Descobre aqui as razões pelas quais o preço do pau santo ser cada vez mais alto)

A espécie de árvore usada no mundo do bem-estar é chamada de bursera graveolens, que cresce em todas as Américas, incluindo México, Peru, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Ilhas Galápagos e em maior abundância no Equador continental.

Para obter o pau santo da melhor qualidade, a madeira deve ser colhida de uma determinada maneira: as árvores atingem uma idade madura de 70 anos - esta árvore morre de causas naturais após esta idade. Depois disto é deixada por um mínimo de cinco a oito anos para que os óleos do cerne amadureçam o suficiente para fazer incenso de qualidade. [informação segundo Jonathon Miller Weisberger, etnobotânico e autor de “Rainforest Medicine: Preserving Indigenous Science and Biodiversity in the Upper Amazon.”]

Essa madeira caída e envelhecida é então processada em palitos usados como incenso.

O pau santo - bursera graveolens não está em perigo. A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) divulgou uma revisão do status de conservação da bursera graveolens e declarou-o "de menor preocupação".

O que acontece são dois casos

Um primeiro caso de identidade trocada: Existe uma espécie totalmente diferente, bulnesia sarmientoi, também comumente conhecida como “palo santo” que cresce na região do Gran Chaco da América do Sul, cuja madeira é usada para óleos essenciais. Essa árvore está de fato ameaçada e pode ser confundida com bursera graveolens quando as pessoas pesquisam o assunto online.

Um segundo caso é sobre a questão do status regional versus internacional: A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) declarou a bursera graveolens de menor preocupação a níveis globais. Mas os governos nacionais determinam o status de conservação regional de uma planta, o que significa que uma planta pode ser listada como ameaçada de extinção num país e não no outro. Estes rumores online remontam a 2005, quando o Peru listou o seu pau santo como ameaçado de extinção. Isto fez com que muitos governos da América do Sul criassem leis de proteção desta espécie, permitindo cortar apenas as árvores mortas e galhos caídos [processo explicado anteriormente]. Os regulamentos relativos à sua colheita estão a tornar-se mais rígidos ao longo dos anos e esta é uma das razões pelas quais o preço do pau santo ser cada vez mais alto.

Português